Guardas estão sofrendo perseguições pela prefeitura

por Tania Maria Garabini publicado 14/07/2020 13h15, última modificação 14/07/2020 13h15
E servidores recebendo a menos pelo serviço executado

Guardas municipais que não estão atendendo e funcionários contratados estão recebendo salários menores por serem nomeados em funções mais qualificadas que os serviços reais executados. Essas denúncias foram feitas pelo vereador Wagner Mello durante a última sessão. Segundo ele, o caso mais grave é de lotações irregulares de funcionários que executando serviços comuns, mas estão contratados em cargos de nível superior.

Na primeira denúncia recebida, o vereador Wagner Mello foi informado de que, guardas municipais que não são adeptos do atual governo vêm sofrendo retaliações no trabalho. Alguns estão sendo lotados para prestar serviço fora da área onde residem e todos os dias. Muitos apenas cumpriam plantão como é a escala de serviço. Diante dessas informações, Wagner Mello solicitou que se marque uma reunião com o secretário de Segurança municipal para obter esclarecimentos e em caso positivo, corrigir essas irregularidades funcionais.

Quanto aos funcionários contratados pela prefeitura, Wagner Mello detalhou que a maioria entregou seus documentos pessoais para registro funcional para exercer uma função menor e salário de nível básico, mas não assinam o documento de admissão trabalhista e são inscritos em outro cargo superior e de salário alto. “Tem servidor que recebe R$ 1 mil e quando vai olhar no portal do servidor descobre que está inscrito como coordenador e recebendo R$ 3,8 mil. Quero alertar você servidor para que procure no Portal da Transparência seu nome e como está inscrito, bem como seu salário”. 

Quanto a categoria do magistério, o vereador alertou que muitos estão sem receber desde março pelas salas adicionais que se dedicaram – como extra – além dos períodos de aula para os quais foram contratados. “A prefeita tem que dar uma solução para essa situação. Hoje temos a noção que não há condição de voltar as aulas presenciais. Se a prefeita não paga aos professores como poderão dar aula on line já que não tem como pagar sua luz e sua internet” finalizou.