Aprovada criação de CPI do CarapebusPrev

por Tania Maria Garabini publicado 13/05/2020 13h08, última modificação 13/05/2020 13h08
Atraso no repasse já é de R$ 3 milhões por parte da prefeitura

Foi aprovada por cinco votos, a criação da Comissão Processante de Investigação (CPI) do CarapebusPrev. A comissão terá 90 dias para coletar dados e apurar o atraso no repasse de R$ 3 milhões recolhidos da folha de pagamento dos servidores concursados para o instituto de previdência municipal.

Em paralelo, a aprovação todo processo da CPI será encaminhado ao Ministério Público e ao de Trabalho para apuração de ilícito e intenção dolosa de retenção de pagamento dos servidores e de improbidade administrativa por afronta a lei. Os vereadores solicitarão que o MP e o Ministério do Trabalho tomem as medidas cabíveis. Foi solicitado ainda a cópia da folha de pagamento dos servidores.

Apropriação indébita

Quanto a CPI do CarapebusPrev, o presidente Anselmo Prata comentou que é necessária porque os atrasos ocorrem, a apropriação indébita do recolhimento das parcelas na folha de pagamento do servidor já que não é repassado para o instituto, desde novembro do ano passado.

Alertou Anselmo Prata que se nesse período da CPI a prefeita não efetuar o repasse dos atrasados ao instituto, o processo será encaminhado ao Ministério Público para as sanções cabíveis. Como a bancada governamental saiu antes da votação ficando apenas o da oposição, Anselmo sugeriu que a criação seja aprovada e os vereadores da base do governo, componham essa comissão. “Eles têm que participar porque também votaram a favor da criação do instituto e temos que nos preocupar porque estamos falando do futuro de quase mil servidores, que podem ser prejudicados”.