Borginho pede fim de isolamento dos assentamentos

por Tania Maria Garabini publicado 30/04/2020 11h00, última modificação 30/04/2020 11h00
Estradas danificadas impedem acesso de moradores aos recursos de saúde

Marcelo Borginho falou que os moradores do Assentamento Maria Amália estão isolados devido a falta de estradas transitáveis. Comentou que se dirigiu à secretaria de Agricultura que estava fechada, com apenas duas funcionárias e vem tentando falar com o novo secretário da pasta, sem sucesso, já que esse não atende o telefone. “Há uma patrola trabalhando, mas não está atendendo a população”. Quanto a isso, Wagner Mello comentou que não há roçadeiras para fazer a limpeza das praças Cordeiro, do Caxanga, Ubás, Praia de Carapebus que está completamente abandonada.

Lembrou que moradores de Capelinha, Maria Amália e áreas mais distantes só tem os vereadores como contato para reivindicações. Também falou do questionamento no atraso da entrega de cestas básicas à população, da falta de manutenção das estradas, impedindo que pessoas até mesmo doentes, tenham acesso aos hospitais e postos de atendimento. “Se temos máquina alugadas, por que não estão trabalhando? Qual o valor desses contratos? Sabemos que temos dois caminhões sugadores. Um trabalha e outro está quebrado. A população reclama com razão e nós precisamos saber dessas informações para dar esclarecimento às pessoas”, finalizou.