Câmara de Carapebus: 24 anos em seis meses

por Tania Maria Garabini publicado 03/08/2019 10h50, última modificação 03/08/2019 10h50
Vereadores avaliam a gestão da mesa Diretora

A atual mesa diretora da Câmara de Vereadores de Carapebus implantou mudanças e modernizou a Casa em seis meses, o que nunca foi feito nos 24 anos de sua existência. Entre os avanços mais significativos estão a realização de concurso público, transmissão ao vivo das sessões, criação da sessão itinerante aproximando o Legislativo junto a população, dando-lhe voz e voto na escolha de obras para seus bairros. O vereador Anselmo Prata implantou todas essas e outras mudanças, estando a frente da presidência. Mas em sua fala com os demais membros da mesa diretora ressalta que “a atual gestão da Câmara não tem um presidente e sim, seis presidentes”.

Outra grande conquista foi a aprovação de treze emendas impositivas (que inviabilizar as contas municipais pela não execução das emendas) incluídas no orçamento de 2018 que vão da criação de ciclovias a construção de moradias populares, passando pela recuperação das estações de tratamento de esgoto. Até o momento, o município não cumpriu nenhuma das emendas propostas, mesmo com tendo os recursos destinados para esse fim.

O vice presidente Luciano Deuty lembra que todos esses avanços e melhorias foram alcançados graças a um conjunto de fatores como respeito entre os colegas parlamentares, bem como a união dos seis vereadores, formando maioria que desejou e realizou mudanças; respeito aos funcionários da Casa e “comprometimento com a população”, em suas palavras. “Estamos avançando e levando a Câmara mais perto da população, mostrando o verdadeiro papel do vereador e acima de tudo, nos unindo não para criar oposição, mas sim para melhorar a cidade e oferecer condições de uma vida melhor a toda população.

Ainda na atual gestão outro avanço implantado foi realização da eleição anual para escolha da mesa diretora da Casa. Anteriormente, a vigência presidencial era de dois anos. No entender de Anselmo Prata, como presidente, não é necessário esse tempo todo; já que se consegue – com vontade e união de esforços – fazer mudanças significativas em seis meses. O projeto de lei foi aprovado por unanimidade entre os vereadores. Anselmo renunciará ao cargo em dezembro deste ano, passando a administração da Casa para o atual vice, Luciano Sardinha (Deuty). 

O vereador Marcelo Borginho ao falar do assunto lembra que sem a unificação de pensamento e objetivos, a Câmara de Carapebus permaneceria sem qualquer mudança e a população seria a mais prejudicada, além de comprometer o futuro político de cada um deles. “Antigamente víamos um ou dois políticos se unindo e fazendo oposição. Nada conseguiam e ainda ao final do mandato, não se reelegiam”. Agora – segundo ele – houve uma aglutinação de interesses políticos, “não para derrubar prefeita, mas para propor obras; para se ter um único propósito, o de fazer algo a mais pela cidade. Hoje temos maioria na Câmara não para enfrentar ninguém, mas para conseguir o desenvolvimento da cidade”. Segundo ele, o objetivo é "buscar na esfera estadual e mesmo federal recursos para as obras tão urgentes e necessárias que a cidade precisa”.

Antônio Marcos Pacato ressaltou que as transmissões ao vivo das sessões – tanto no plenário, quanto na itinerante – é um marco na transparência política assim como o site onde podem ser vistas notícias e dados administrativos e fiscais da Câmara. “Hoje a mídia digital é uma realidade e com isso nos aproximamos mais dos eleitores, permitindo com que ele possa acompanhar de perto nossas ações, fazer críticas, elogios e sugestões”, concluiu Pacato. Lembra que essa disponibilidade de informações é fruto da transparência que o grupo dos seis vereadores acredita e pratica.

Além da reforma administrativa que reclassificou e melhorou do salário dos funcionários, feita pela atual gestão, o vereador Maicon Veio Pimentel lembrou também da administração enxuta e clara, que resultou em saldo de quase R$ 500 mil que serão utilizados na reforma da Câmara como ampliação dos gabinetes dos vereadores e em sistemas de acessibilidade para portadores de necessidade especial. As obras devem começar ainda nesse semestre. Outra mudança foi a formação da comissão processante que investiga a prefeita. Em gestões passadas, esse trabalho e

O vereador Wagner Melo pontua a união do grupo como um dos fatores mais importantes e que já deu resultado como a construção da ponte em Lameiro, obra que se arrastava há mais de dez anos, desde a queda de sua cabeceira. “Eu só tenho a agradecer a presidência da Câmara porque agora podemos interferir na LDO apresentando emendas para melhorar a vida da população”.