Câmara está em obras e presidência licitará compra de veículos

por Tania Maria Garabini publicado 17/09/2019 14h20, última modificação 17/09/2019 14h20
Único carro da Casa foi tomado pela prefeitura mesmo pago pela Câmara

A Mesa Diretora está em fase de conclusão dos projetos que a presidência estipulou para até o final deste ano. O prédio vem sendo reformado internamente, para ampliar os gabinetes dos vereadores para que possam melhor atender a população, instalar condições de acessibilidade ao interior e ao plenário para portadores de necessidade especial. E ainda esse ano, a presidência da Casa irá licitar a compra de dois carros para atender a todos os serviços bem como os vereadores, em casos de trabalho. Isso porque o poder Executivo tomou o único carro à disposição, já que venceu o comodato.

Em 2014, a Câmara comprou um veículo que se envolveu em acidente e o seguro pagou o valor do mesmo, num total de R$ 58 mil. Esse dinheiro, na gestão da presidente Tânia Cabral foi entregue à prefeitura, por ela entender que deveria devolver no final de ano legislativo como determina o Tribunal de Contas. O presidente atual, Anselmo Prata disse que em seu entender, a então presidente da Casa deveria ter adquirido outro veículo com o dinheiro do seguro pagou ou deixado em caixa para a compra futura e não entregue ao Executivo, já que é um valor referente a um patrimônio do Legislativo.

Ao assumir a presidência, Anselmo foi informado por ofício da necessidade de devolução do veículo devido o vencimento de prazo do comodato. Ele ainda tentou argumentar com a prefeita que o carro tinha sido adquirido pela prefeitura, mas o dinheiro fazia parte do patrimônio da Câmara. Há duas semanas um oficial de justiça com ordem de busca e apreensão levou o carro para o pátio da Prefeitura. A presidência está licitando agora a compra de dois veículos, já que tem em caixa quase R$ 500 mil economizados durante a gestão de Anselmo Prata.

“Isso foi uma covardia, porque esse carro foi adquirido com o dinheiro da Câmara. Em lugar de compra, se devolve o dinheiro e temos que ficar submissos a prefeitura, para emprestar o veículo. Submissão total, por isso que se dizia que aqui era um puxadinho. Ter que pedir emprestado um carro que foi comprado com o dinheiro da Câmara” afirmou indignado Anselmo Prata quando a essa situação.