Deuty pede abertura de CPI do CarapebusPrev

por Tania Maria Garabini publicado 03/05/2020 13h57, última modificação 03/05/2020 13h57
E quer informação sobre dinheiro em caixa

O vereador Luciano Sardinha Carvalho (deuty) pediu esclarecimentos sobre o cadastramento dos profissionais autônomos que mesmo tendo feito o cadastramento ainda não receberam a cesta básica que lhes seriam destinadas. Outra questão é para as ações governamentais para atender o comerciante local que não está tendo como vender.

“Eles não têm o que vender e consequentemente o que comprar e o que comer. Quem tem que dar a solução é o governo. Nós aprovamos uma verba de R$ 1 milhão para a compra de cesta básica para atender a questão social”.

CarapebusPrev

Quanto ao CarapebusPrev lembrou que todos os vereadores foram até a prefeita e ela garantiu que iria manter o pagamento em dia, o que não está acontecendo. “Ela não pagou uma, fez outra dívida e está indo para a terceira”. E questionou se ela com a crise que toda a economia vem enfrentando conseguirá pagar a dívida de R$ 2,9 milhões.

Lembrou que com a aprovação do instituto foi economizado R$ 490 mil/mês que eram pagos ao INSS. Agora pelo CarapebusPrev esse valor mensal a ser pago é de R$ 400 mil. “Somando até o momento temos R$ 155 milhões em caixa. Se não gastou em obra deve estar em caixa” detalhou. Ele sugeriu que na próxima semana, se faça um requerimento para que se abra uma CPI do instituto previdenciário para apurar essa situação.

Remanejamento

Quanto ao percentual de 50% pedido pelo Executivo para remanejamento orçamentário, Deuty lembro que em 2017 os vereadores aprovaram o orçamento de R$ 72 milhões e foi arrecado R$ 98 milhões. Em 2018 foi orçado R$ 108 milhões e arrecadado R$ 124 milhões. Em 2018 do orçamento orçado em R$ 124 milhões obteve-se R$ 130 milhões. “Fazendo um cálculo temos um valor de R$ 64 milhões de crescimento de 2017 a 2020”.

“Ano passado estávamos com déficit de R$ 28 milhões”. Deuty questiona se havia R$ 64 milhões e com esse déficit a quanto estará o endividamento do município no momento atual. Ele propõe um ofício pedindo o comparecimento de todos os secretários juntamente o de Fazenda para que esclareça o gasto de cada pasta, já que o de Fazenda não tem esse conhecimento.