Farmácia Popular continua sem remédio

por Tania Maria Garabini publicado 12/06/2020 11h32, última modificação 12/06/2020 11h32
Borginho reclama também da falta de coleta de lixo

Marcelo Borginho voltou a informar que na farmácia popular da prefeitura há falta de remédios básicos até para dor de cabeça, mas há suspeitas de superfaturamento na compra de medicamentos.  Essa questão é um dos assuntos que a Polícia Federal irá investigar. Na terça-feira uma equipe da PF esteve na cidade e apreendeu documentos na Secretaria de Saúde, porque há suspeitas de desvio na ordem de R$ 4,6 milhões nesse setor.

“Enquanto isso, a prefeita que não tem mais nada a fazer entrou na justiça para afastar a mesa diretora. Temos muitos problemas na cidade para que ela se preocupe em retirar os vereadores das funções. Assim como alguns vereadores pediram que cancelasse as sessões diante do Coronavírus. Não vejo porque, se os nove vereadores tomarem os devidos cuidados podemos fazer as sessões. Até porque sobrou para nós fiscalizar e lutar pela população, já que a justiça não atende nossos pedidos contra a prefeita”, justifica Borginho. Quanto ao pedido de afastamento da atual Mesa Diretora da Câmara informou que a Justiça não aceitou o pedido que a prefeita fez, de afastamento de Anselmo Prata frente a presidência e os demais vereadores das funções.

Lamentou que enquanto essas medidas estão sendo adotadas pela administração pública, os tambores de lixo da cidade estão transbordando, já que a empresa responsável pela coleta não está recebendo; que haja sérios problemas no atendimento da Saúde.

 E por fim pediu a população para que analise os futuros candidatos aos cargos de prefeito e de vereador para que escolham o melhor e assim permitam o crescimento da cidade.