Vereadores reforçam críticas às irregularidades

por Tania Maria Garabini publicado 28/06/2020 14h50, última modificação 28/06/2020 14h48
Base governista nega uso irregular de royalties

O presidente Anselmo Prata acompanhou o parecer do TCE lembrando que a reprovação foi baseada em documentos e como ele acompanhou a gestão atual da prefeita sabe das incorreções. “Nós vivenciamos essa situação durante três anos e seis meses e sabemos que o parecer não está errado”.

O vice-presidente Luciano Sardinha (Deuty) não citou as sete irregularidades que a prefeita cometeu, mas lembrou que a mesma teve, por duas vezes, a oportunidade de se defender judicialmente, mas ignorou e usou a argumentação de que a responsabilidade era dos servidores administrativos. Mas ele considerou altamente grave a utilização de 95% do Fundeb de maneira indevida. Deuty votou favorável a reprovação das contas da prefeita, acompanhando a decisão do TCE.

O vereador Wagner Mello acompanhou a decisão do TCE.  O vereador Maicon Pimentel também acompanhou a decisão do Tribunal de Contas, lembrando que foi uma decisão técnica depois da constatação de dezessete impropriedades com igual número de recomendação. Foram identificadas sete irregularidades, uma delas constatada pelo Ministério Público. “Ninguém está inventando história. Isso foi relatado por aqui e esperamos que daqui para frente não cometam mais esses erros. Que o próximo prefeito lembre que a lei tem que ser cumprida”.

A vereadora Tânia Cabral se declarou a favor da aprovação das contas do Poder Executivo alegando que, a prefeita preferiu gastar os R$ 10 milhões pagando os servidores porque não queria demitir ninguém. O vereador Antônio Marcos (Marquinho Pacato) foi contra o parecer do TCE. Dandinho acompanhou a decisão da bancada governista. Mesmo todos os vereadores declararam o seu voto, foi realizada a votação secreta e os votos contados e aferidos pela Mesa Diretora.