Veto do Executivo às emendas do Orçamento é derrubado

por Tania Maria Garabini publicado 17/12/2019 07h46, última modificação 17/12/2019 07h46
Prefeita tem 48 horas para publicar ou Câmara irá promulgar

Na última sessão do ano (13 de dezembro), o veto total do Executivo para as emendas ao Orçamento de R$ 141 milhões foi recusado por cinco vereadores (Anselmo Prata, Luciano (Deuty) Sardinha, Marcelo Borginho, Wagner Mello e Maicon Pimentel). Com isso, a prefeita tem 48 horas após receber o resultado oficial para publicar. Caso contrário, a Câmara irá promulgar o veto, tornando isso público.

Quanto as emendas impositivas, que se tornam obrigadas a ser cumpridas pelo poder Executivo sob pena de ser classificado como crime de responsabilidade sócio- administrativo. O presidente da Câmara, Anselmo Prata falando sobre a derrubada do veto salientou que isso é a confirmação da independência do Legislativo e “com certeza a representação da população.  Todas as emendas foram unicamente de interesse e necessidade da população. Mais uma vez a prefeita e os secretários não entenderam a vontade popular que foi explicitada nesse plenário com a aprovação das emendas”. Ele espera que a prefeita aceita a derrubada do veto e a vontade da população.

Anselmo lembrou que o orçamento do próximo ano será de R$ 141 milhões enquanto de 2019 foi de R$ 130 milhões e quer esclarecimento para onde foi gasto esse montante já que não se vê uma obra na cidade. “Acredito que o dinheiro esteja no cofre e se foi gasto, queremos saber com que, porque não há uma obra iniciada. Sabemos que se gastou até 70% desse montante com a folha de pagamento e cadê o restante”, indagou.